28/09/2013

Breaking Bad: 6 tópicos sobre a Metanfetamina

28/09/2013 às 14:44:00

O final da série de tv, Breaking Bad, irá ao ar amanhã (29 de setembro). Por cinco anos, espectadores assistiram a ascensão de Walter White como professor de química para rei de um império de metanfetamina.

Embora o show mostre o lado bizarro da indústria de metanfetamina, a história dessa substância no mundo real é muito mais estranha. Desde seu uso pelos nazistas como um tipo de "dopping" até a utilização da substância em uma dieta de donas de casa, temos aqui seis tópicos estranhos sobre a metanfetamina.

História:
A efedrina é um composto químico cristalino
empregado em medicamentos e também em dopping.
Em 1887, cientistas isolaram pela primeira vez o composto químico efedrina de uma planta chamada Ephedra sinica, que tem sido usada como medicina chinesa por milhares de anos. Em 1919, químicos produziram metanfetamina combinando o composto químico ativo da planta com fósforo vermelho e iodo.

Representação em bolas da efedrina.
As pessoas logo notaram suas "ótimas" propriedades, que incluia: supressão do apetite, melhoramento do humor e aumento do foco. Na Segunda Guerra Mundial, Adolf Hitler distribuiu metanfetamina para seus soldados para aumento da moral e para ajudar a manter os soldados sempre em alerta.




Fórmula estrutural da anfetamina.
Durante os anos 50, a anfetamina (uma droga
estimulante do sistema
nervoso central, que provoca a alteração
das capacidades físicas
 e psíquicas, prejudicando a memória e a
capacidade de assimilação) foi um componente popular incluso nas pílulas de dieta das donas de casa. Sendo utilizada para mantê-las "esbeltas".


Produção Caseira:
Diferentemente da cocaína, heroína e da maconha, onde a chave dos ingredientes é colhida de plantações, a chave da produção de metanfetamina requer a transformação de drogas precursoras. Compostos como a efedrina ou a pseudoefedrina (fármaco com ação agonista adrenérgico, utilizado na medicina como descongestivo nasal), devem passar por reações químicas para se transformarem na droga ilícita.

Somente alguns laboratórios pelo mundo pode fazer essas substâncias em qualquer escala, de acordo com um documentário de 2011 sobre a epidemia da metanfetamina. Grandes quantidades de metanfetamina são produzidas por super laboratórios do cartel mexicano.

Contudo, "freelancers" podem fazer a droga em casa simplesmente roubaram os descongestionantes de farmácias e combinando eles com solventes tóxicos e compostos químicos em um perigoso laboratório caseiro. Os químicos utilizados na produção de metanfetamina são voláteis e podem levar a explosões, e o lixo tóxico deixado para trás é extremamente difícil de limpar.

Mito Azul?
Na série, Breaking Bad, a marca do produto de Walter White é a coloração azul. Sua droga parece ser tão pura, que parece um doce. Na realidade, a metanfetamina pura é tipicamente branca ou transparente, porque reflete todas as ondas eletromagnéticas do espectro da luz visível.

Pureza é uma medida do quão uniforme a composição química da droga se encontra, e ainda pequenas quantidades de impureza podem ser as responsáveis por adicionar cor à droga. Entretanto, metanfetamina azul em si não é um mito. A muitos anos atrás, vendedores de drogas começaram a vender metanfetamina que parecia ter um tingimento azul.

Drogas Similares:
Metanfetamina é um primo dos estimulantes que são diariamente recomendados para crianças que possuem TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade). Anfetaminas como Adderall e Ritalina possuem efeitos similares às da metanfetamina, e na verdade, o corpo começa a metabolizar essa droga através da anfetamina.

Entretanto, embora a metanfetamina ilícita precise passar por um processo chamado dupla metilação, o processo no corpo humano é mais rápido e poderoso.

Conexão com a Carne:
A droga foi uma praga em alguns estados americanos, como o Missouri, o Kentucky e o Tennessee. Especialistas dizem que a metanfetamina possui um ponto de apoio no processamento industrial de carnes.

O trabalho nessas fábricas estão entre os mais perigosos da América: Trabalhadores precisam "processar" galinhas, vacas e porcos em um ritmo assustador (mais ou menos 140 galinhas por minuto, por exemplo, de acordo com as regras da USDA). Os trabalhadores acabam cedendo à metanfetamina para trabalharem mais rapidamente, mais precisamente e mais alerta, de acordo com o livro de Nick Reding de 2009, "Terra da Metanfetamina" (tradução livre).

Efeitos Horrorosos:
O uso prolongado de metanfetamina pode causar efeitos horrorosos. O uso crônico contrai e eventualmente destrói vasos sanguíneos, inibindo a habilidade do corpo de reparar tecidos e causando envelhecimento da pele. As pessoas que usam essa substância, as vezes, têm alucinações nas quais insetos estão rastejando debaixo de suas peles, levando-os a coçar a mesma até que ferimentos começam a surgir.

Além disso, a droga seca as glândulas salivares, que faz com que os ácidos bucais destruam o esmalte dos dentes mais facilmente, permitindo que buracos se formem. Viciados ainda possuem vontade de comer comidas doces, o que piora a situação. Isso deixa os usuários com a característica "meth mouth", uma boca totalmente destruída, utilizada em campanhas contra a metanfetamina.

Fonte: LiveScience
Lucas

Tem vinte e um anos de idade e é o idealizador e designer do Química Suprema. É entusiasta na área de Divulgação Científica com ênfase nas Ciências Químicas e Farmacêuticas. Possui noções de linguagens de programação, e entende de Design Gráfico e manuseio de programas de edição. Em 2013 cursou Licenciatura em Química e em 2014 resolveu trocar para o curso de Farmácia. Estuda na UFF.


COMENTÁRIOS :

 
Mostrar/Ocultar