09/11/2013

Cientistas brasileiros famosos na área da Química

09/11/2013 às 22:04:00

Tendo em vista o baixo nacionalismo brasileiro - principalmente em relação às áreas científicas - resolvi criar esta postagem e listar pelo menos algumas personalidades históricas importantes para a área da Química.
Não se esqueça de olhar no final das postagens as observações.

Carlos Ribeiro Diniz
Médico e Bioquímico

Profissão: Pesquisador e Professor Universitário
Área de Especialização: Ciências Biomédicas

Resumo de seu trabalho:
Desenvolveu importantes estudos sobre os venenos de cobras, aranhas e escorpiões. Como diretor da Fundação Ezequiel Dias (Funed), conseguiu recursos que permitiram a pesquisa básica e a produção de vacinas e soros antiofídicos.

Títulos:
Médico - Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG - 1943.
Livre-docente - Faculdade de Medicina da UFMG - 1948.
Especialista (Genética de bactérias) - Universidade de Wisconsin - 1956.
Professor titular - UFMG - 1964/1971.
Professor titular - Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, FMRP - 1973.
Professor emérito - Instituto de Ciências Biológicas da Universidade de Federal de Minas Gerais, UFMG - 1992.


- Haity Moussatché
Fisiologista e Bioquímico

Resumo de seu trabalho:
Trabalhou no Instituto Oswaldo Cruz por quarenta anos, sendo chefe das seções de farmacodinâmica e fisiologia e pesquisando a ação de substâncias químicas.




- Isaías Raw
Médico e Bioquímico

Profissão: Pesquisador e Professor Universitário
Área de Especialização: Ciências Biomédicas

Resumo de seu trabalho:
Realizou estudo sobre a estrutura celular e foi incentivador da ciência.

Títulos:
Médico - Universidade de São Paulo, USP - 1950.
Mestrado - USP - 1950.
Ph.D. (Bioquímica) - USP - 1954. 
Livre-docente - USP - 1957.
Professor catedrático (Bioquímica) - Faculdade de Medicina da USP, FM/USP - 1964.
Professor visitante - Universidade Hebraica de Jerusalém - 1969/1970.
Professor visitante - Massachusetts Institute of Technology, MIT - 1970/1974.
Professor visitante - Harvard University School of Public Health - 1973/1974.
Professor - Center Biomedical Education, City College of New York - 1974/1979.
Professor emérito - FM/ USP.

- José Moura Gonçalves
Bioquímico

Resumo de seu trabalho:
O trabalho mais importante de José Moura Gonçalves foi o isolamento da crotamina - proteína tóxica do veneno das cascavéis - que contribuiu para a compreensão da constituição química dos venenos de serpentes e para o estudo dos efeitos desses componentes. Suas pesquisas ajudaram a implantar os conceitos da bioquímica moderna no Brasil.



- Maurício Rocha e Silva
Químico e Farmacologista

Resumo de seu trabalho:
O farmacologista Maurício Rocha e Silva descobriu, em 1949, que as enzimas do veneno da jararaca agem sobre as proteínas do sangue, liberando uma substância chamada bradicinina, que hoje é largamente utilizada em medicamentos para o controle da hipertensão. O potente vasodilatador descoberto por ele é amplamente empregado desde a década de 70 e representou melhora radical na expectativa e qualidade de vida de hipertensos, especialmente quanto a restrições dietéticas. No exterior, Rocha e Silva pesquisou a histamina, utilizada em medicamentos cardiovasculares. O descobridor da insulina, Charles Best, ficou tão impressionado com o talento do brasileiro que o convidou para ser seu assistente; mas Rocha e Silva recusou. O químico possui mais de 300 trabalhos publicados em revistas como a Nature e Science e, no final da década de 50, organizou o departamento de farmacologia e a pós-graduação da Universidade de São Paulo.

- Giuseppe Cilento
Químico e Bioquímico

Resumo de seu trabalho:
Giuseppe Cilento foi um dos primeiros químicos de sua geração que se dedicou a estudos interdisciplinares, adaptando a química à pesquisas na área de mineralogia, biologia e física. Foi reconhecido mundialmente estudando a existência, em sistemas biológicos, de substâncias e moléculas químicas modificadas em suas características físicas por efeito de radiação. Estudou a atividade química de células cancerígenas. Foi pioneiro nas pesquisas sobre a possibilidade de as plantas realizarem processos fotoquímicos sem a presença de luz, a chamada fotobiologia sem luz. Participou da criação do Instituto de Química da Universidade de Campinas (Unicamp). Por sua dedicação à ciência, recebeu o Prêmio Nacional de Ciência e Tecnologia e também o prêmio Moinho Santista. A pesquisa era tida por Cilento quase como um sacerdócio. Ele alegava que o cientista tinha de abrir mão de muitas coisas em nome de suas hipóteses.

Otto Richard Gottlieb
Químico Industrial

Profissão: Pesquisador e Professor Universitário
Área de Especialização: Ciências Químicas

Resumo de seu trabalho:
O químico Otto Richard Gottlieb dedicou sua vida à preservação e ao estudo do patrimônio vegetal brasileiro. Com mais de 700 trabalhos publicados, Gottlieb sempre buscou uma resposta química para algum problema biológico. Estudou, entre outras espécies, a lauráceas e a miristicáceas. Seus estudos sobre a canela trouxeram ao conhecimento público algumas aplicações medicinais, fitoterápicas e culinárias da espécie, além das propriedades aromáticas utilizadas na indústria cosmética. Em 1967, com financiamento da Fapesp, Gottlieb criou o laboratório de Química de Produtos Naturais no Instituto de Química da Universidade de São Paulo. Integrando a química à biologia, à ecologia e à geografia, Gottlieb desenvolveu uma nova área de estudo no campo da química de produtos naturais: a sistemática bioquímica das plantas, também chamada de quimiossistemática ou taxonomia química, que consiste na identificação de grupos de substâncias químicas presentes nas plantas.

Títulos:
Químico industrial - Escola Nacional de Química da Universidade do Brasil, ENQ/UB - 1945.
Pesquisador visitante - The Weizmann Institute of Science, Rehovot, Israel - 1960.
Professor titular - Universidade de Brasília, UnB - 1964/1965.
Professor visitante - The University, Sheffield, Inglaterra - 1964.
Professor visitante - Indiana University, Bloomington, USA - 1964.
Doutor - Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, UFRRJ - 1966.
Livre-docente - UFRRJ - 1966.
Professor titular (Química orgânica) - UFRRJ - 1967/1973.
Professor visitante - Instituto de Química da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo - IQ/FFCL/USP - 1967/1973.
Professor colaborador - IQ/FFCL/USP - 1974/1975.
Professor titular - IQ/FFCL/USP - 1975/1990.
Pesquisador visitante - Universitat Hamburg, Hamburg, Alemanha - 1985, 1986 e 1991.
Doutor Honoris Causa - Universidade Federal do Rio de Janeiro/UFRJ - 2003.


- Ricardo Ferreira
Químico

Resumo de seu trabalho e história:
Ricardo Ferreira é um dos químicos teóricos mais importantes do Brasil. Autor de uma obra científica significativa no campo da química teórica, pelo número de artigos e trabalhos publicados, Ricardo passou a dedicar-se à física, trabalhando no Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF). Para o professor, a química é a ciência interdisciplinar por natureza. Devido à importância teórica e bibliográfica de sua obra, em 1988 foi publicado um número especial da revista Química Nova em sua homenagem. Seu trabalho de maior destaque foi "O cálculo das constantes de ionização dos ácidos oxigenados", sua tese de docência, devido à importância de sua aplicação teórica nas pesquisas de química inorgânica. Na década de 80 passou a estudar os aspectos eletrônicos da ação enzimática e da evolução molecular, além de investigações acerca da eletronegatividade.

Ricardo começou o curso de química na Universidade de São Paulo e terminou-o na Universidade Católica de Pernambuco. Trabalhou na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), no CBPF, no Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech), na Universidade de Colúmbia, na USP e no Earlham College. Participou da consolidação do Departamento de Química Fundamental da UFPE. Até pouco tempo, enquanto ainda era vivo (faleceu em 30 de julho de 2013) era aposentado pela UFPE, e dedicava-se às pesquisas na área de físico-química.

- Simão Mathias
Químico

Resumo de seu trabalho e história:
O químico Simão Mathias queria ser astrônomo, mas foi um dos quatro alunos da primeira turma do curso de química da recém inaugurada USP, em 1935. Foi também o primeiro doutorando em ciências da faculdade. Mathias foi fundamental para o desenvolvimento da USP, lutando para obter recursos para construir o primeiro laboratório de físico-química do país. Passou dois anos nos Estados Unidos, na Universidade de Wisconsin. Lá ele fundamentou sua idéia de como ensinar físico-química. Ao voltar, propôs a construção do laboratório da USP, inicialmente criando uma pequena oficina mecânica e treinando um técnico vidreiro. O próprio Mathias construiu os aparelhos e as células dielétricas. Foi assim que começou o ensino de físico-química em São Paulo. Em 1960, como chefe do Departamento de Química, organizou a centralização de todos os departamentos de química existentes na USP num único grande instituto.

Nascido em São Paulo, em 26 de agosto de 1908, Mathias dedicou sua vida a construir um projeto de universidade. A instituição de um "espírito universitário" foi para ele uma preocupação constante. Foi da diretoria da SBPC e atuou com empenho na abortada tentativa de reforma universitária do final dos anos 60. No final da vida, fez parte do grupo de história da ciência do Departamento de História da USP. Faleceu em 25 de agosto de 1991.

Observações:
  • Clique nos nomes para acessar outras informações sobre os cientistas.
  • Os dados não seguem um padrão porque não foi possível encontrar os mesmos dados para todos.
  • Clique AQUI para acessar a lista do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT) que contém outras personalidades brasileiras que dedicaram suas vidas às suas respectivas áreas e se tornaram referência nas mesmas.

Fontes: Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia e Academia Brasileira de Ciências.
Lucas

Tem vinte e um anos de idade e é o idealizador e designer do Química Suprema. É entusiasta na área de Divulgação Científica com ênfase nas Ciências Químicas e Farmacêuticas. Possui noções de linguagens de programação, e entende de Design Gráfico e manuseio de programas de edição. Em 2013 cursou Licenciatura em Química e em 2014 resolveu trocar para o curso de Farmácia. Estuda na UFF.


COMENTÁRIOS :

 
Mostrar/Ocultar